TRADUTOR DE IDIOMAS

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Leia agora o comentário mais recente do Blog Diário da Mãe de um Anjo.

domingo, 5 de maio de 2013

DEPOIMENTO DA MÃE PAULA SOBRE A PARTIDA DE SEUS ANJOS-REVOLTA, TRISTEZA, DOR E SAUDADE MARCAM A VIDA DESTA FAMÍLIA

Queridas mães de anjos
Também sou mãe de dois anjinhos, mas ainda não me sinto bem nessa situação. Na verdade ainda não aceito que meus filhos tinham que me deixar tão cedo, sei que posso estar sendo covarde, como li em um blog uma mãe de anjo falando, mais não consigo ser forte, não ser covarde. Sei que não é fácil para nenhuma de vocês, mas vi em blogs ( da Ivonete,Vírginia,Eveline e outros), alguns comentários de vocês,que tem me ajudado, por isso queria muito poder me corresponder com todas, tenho certeza que isso vai me ajudar muito a suportar esse horrror que se transformou a minha vida.Queria contar um pouco da minha história e ouvir a de vocês.Espero que possamos nos corresponder.Meu nome é Maria Paula, moro em Porto da Folha-Se,casei em dez/2005, engravidei com menos de um mês de casada,no início fiquei um pouco assustada,tinha muito medo de ter filhos(pensando na hora do parto),depois o amor era tão grande por aquela criança que habitava dentro de mim, que eu costumava dizer que “o amor vencia o medo”,eu não tinha mais medo da hora do parto, eu queria tanto sentir aquela criança nos braços, que eu sabia que ia dar tudo certo, eu ia conseguir.No dia do parto (02/10/2006), cheguei cedo na maternidade, mais o médico que me acompanhou no pré- natal não apareceu, mesmo sabendo que eu estava lá, o esperando.A médica plantonista dizia que eu tinha que esperar por ele, e só a tarde quando perceberam que eu não aguentava mais, ligaram para o médico e ele disse para a plantonista me atender,meu bebê já tinha feito cocô na minha barriga e o parto teve que ser cesário.Mas que bom ele nasceu(Paulo Gabriel nasceu) que alegria, teve que ir para UTIN, mas me falaram que estava tudo bem,ele só ia ficar em observação, para terem certeza que ele não tinha engolido nenhum liquído, que pudesse lhe fazer mal.Fiquei tranquila como em todo pré-natal, sempre ouvir do médico que estava tudo bem, que era uma criança saudável.Mas no outro dia ao visitá-lo na UTIN, já fui ouvindo da médica:se prepare ele ,está com um problema muito sério e vai morrer.Não acreditei no que ouvia,como? Ela me explicou que durante a noite ele tinha tido uma crise, e descobriram que ele tinha uma cardiopatia congênita. Indaguei pela cirurgia, ela falou que podia ser feita, mas ele era muito pequeno, seria difícil resistir. Mas não desistimos, ou arriscava fazer a cirurgia e ter uma chance dele viver ou esperava ele morrer a qualquer momento. Com 9 dias de nascido ele foi submetido a cirurgia e não resistiu.Foi o primeiro pior dia das nossas vidas(11/10/2006), um dia antes do dia das crianças,e seu sepultamento justamente no dia das crianças. Foi terrível, queria morrer, meu esposo também sofria muito, mas tentava se manter forte por mim, fiz acompanhamento psicológico, e depois de muita luta conseguimos seguir em frente. O nascimento do nosso 2º filho foi fundamental para conseguirmos. Nasceu Paulo Gustavo em 17/08/2008, nasceu de 8 meses, quando a bolsa estourou foi um susto, pois já estava tudo programado para ser cesariana no mês seguinte, mas graças a Deus deu tudo certo, foi parto cesário novamente, mas ele estava com mais de 3 quilos e nem precisou ficar na UTIN.E aí nossa alegria voltou, não completamente pela ausência de Paulo Gabriel, mais conseguíamos sorrir ,pensar no futuro, pensar no melhor para Paulo Gustavo, tudo que fazíamos era em sua função, ele era tudo para nós.Era um menino esperto, amoroso(que do nada chegava e dizia: mamãe linda eu te amo, ou papai. O amor dele por nós era igual,apesar de ser muito apegado ao pai e às vezes eu dizer que ele gostava mais do pai, mas ele dizia que não, e eu acredito).Ele estava com 4 anos e 6 meses.Moramos no interior de Porto da Folha,mas temos residência também em Aracaju, e viajamos muito de um lugar ao outro, mas sempre pra ir a médico, levar mãe, irmã, sogra e até nós mesmos.Paulo Gustavo sempre ia conosco e gostava, porque nos intervalos, levávamos ele na praia( que ele adorava), no parque, shopping.Se ele pudesse morava em Aracaju.E aí veio o nosso 2º pior dia das nossas vidas, no dia 04/03/2013, voltando de Aracaju para Porto da Folha, no município de N.Srª da Glória, já tão próximo de casa, um camioneiro desgraçado, jogou seu caminhão na traseira do nosso carro, íamos 5 no carro, eu, meu esposo,minha mãe, minha irmã e Paulo Gustavo,todos ficamos bem: eu e meu esposo, os menos feridos por estar na frente, minha mãe e minha irmã, mais, porque estavam atrás com ele, mas ele não teve chances, ainda tiramos ele da caderinha sangrando pela boca,nariz(estou tremendo tanto, mais quero falar com vocês, por isso estou me esforçando o máximo para digitar).Eu corri para a pista ,pedindo socorro com ele nos meus braços, vi resistência de um homem em ir comigo para o hospital, dizia que não sabia onde ficava,isso me dar ódio até hoje e acho que nunca vai passar, até que parou um casal (já meio idosos, que nem lembro da fisionomia) e me levaram para o hospital mais próximo, eu pedia tanto a Deus para não levar meu filho e dizia: SENHOR, eu já te dei Paulo Gabriel, deixe Paulo Gustavo comigo.Nunca pensei em passar por um terror tão grande na minha vida, eu estava no inferno.Chegando ao hospita percebi que meu filho estava morrendo, entrei correndo no hospital, pedindo um médico, ainda pegaram ele dos meus braços, foi uma correria, vi fazendo massagens nele, mais me tiraram da sala, estava tão desesperada, doida,corria pelo hospital, não queria ouvir o pior, mais não demorou muito, quando meu esposo chegou, que tinha ficado socorrendo minha mãe e irmã.Vi alguém chamando ele pra conversar e percebi que o pior tinha acontecido.Queria morrer, pedi para me matarem, eu não suportaria, de novo não.Eu não queria viver pra sentir de novo essa dor. E agora pior, numa intensidade maior ainda porque o tempo de convivência foi maior, são mais lembranças. Com Paulo Gabriel, eu sofria imaginando como ele estaria, de que ia gostar. Paulo Gustavo eu sei, o que ele gostava, o que não gostava, como dancava, cantava, nós presenciamos a intensidade do seu amor. E agora estou (estamos), porque dessa vez vejo meu esposo pior, arrasado, derrotado ( e issso) acaba mais comigo, fico rogando a Deus com o que me resta de fé( que não sei se tenho), porque não entendo, não aceito que ELE tenha permitido que nós passássemos por isso de novo, mais ainda peço a ELE que não nos deixe desistir,cair. Nós cuidavámos tanto do nosso filhinho, protegíamos ele de tudo e de todos, acho que pela experiência negativa que tivemos e o medo de perdé-lo também. Estavámos conseguindo, esse ano tínhamos prometido a ele dar-lhe um (a) irmãozinho (a), ele queria uma irmãzinha, porque meu irmão teve uma menininha e ele gostava muito da priminha. Estavámos com tantos planos, esse ano ia ser um dos melhores das nossas vidas e aí de repente a inresponsabilidade de um camioneiro acaba com tudo, com nossa vida. Tem horas que parece que não vamos aguentar, mais a gente quer justiça e digo ao meu esposo, precisamos viver pra lutar por justiça. Dias acordo com esse pensamento, outros acordo acabada, sem forças pra seguir (ontem, por exemplo, a dia estava frio, chuvoso e parece que tudo piora,passei o dia mal, dormi mal e estou mal até agora), lembro-me da alegria do meu filhinho, adorava Patati-Patatá,cantava todas as suas músicas, era um menino tão alegre, tão feliz, gostava de viver e aproveitou tudo na maior intensidade, sofro tanto, não consigo compreender o porquê disso tudo, desse sofrimento, acho que não merecíamos,sei que é um pensamento egoísta, mais penso assim, estou tão revoltada, com tanta magoa,raiva, me sinto impotente, não conseguir ajudar meu filho, essa incapacidade também acaba comigo, eu queria tanto ter ajudado, não conseguir! Daria minha vida por ele, mas a gente não tem esse poder de escolha e nem pode fazer o tempo voltar, procurar outro caminho e nunca ter passado naquela estrada, ter ficado na frente daquele caminhão, é terrível, me vejo dentro do inferno, como foi no momento do acidente, os dias passam mais nada muda. Li uma mãe(Luciana,mãe de Altemar Júnior) falando que depois de um mês, dois, parece que as outras pessoas nem lembram mais,e se sentia só na sua dor, também acho isso, mais para nós pais, nada muda o tempo para e só fica a dor, que não diminui em nenhum momento se quer. Por isso quero falar com vocês, que passaram por experiências parecidas, queria ouvir-las e pedir que me ajudem a ter forças, eu sei que preciso seguir pelo meu filho, que morreu de forma tão violenta e não merecia isso, aquele homem não tinha esse direito de destruir nossas vidas, nossos sonhos, e ele tem que pagar por isso, se desistir, ele vai continuar fazendo isso com outras famílias. Agora, imaginem nossa aflição, tentando suportar essa dor horrível, que sabemos que nunca vai nos deixar e ter que correr atrás de advogados, testemunhas (que é o pior), as pessoas tem medo de falar, não querem se envolver com justiça, é um tormento, isso nos mata aos poucos. Estamos numa luta pra sobreviver e esperamos contar com o apoio de vocês.
Um abraço
Paula e Erinaldo


12 comentários:

Jack Machado da Silva de Aragão disse...

Paula eu gostaria de ter palavras consoladoras neste momento tão infeliz da tua vida, dizer que vai passar, que outros filhos queridos virão, etc... tudo coisas que tu já sabes pois já viveu esta experiência e eu não.
Acredito na justiça, tanto dos homens quanto na de Deus, a consciência desse infeliz que tirou a vida de teu filho pode não estar neste momento "doendo" (uso esta palavra por não encontrar uma outra melhor), mas creio que ele vai ter um dia que acertar as contas e aí sim ele vai lembrar do mau que causou a tua família.
Não pense que deverias ter ido por outra estrada, que se tivesse ficado para mais um lanche, que se... tantas coisas, pq nada vai mudar e tu só vai sofrer mais com isso.
Este caminhoneiro vai pagar pelo que fez, pode ter certeza.
Não desacredite em Deus, eu fiz isso e Ele me deu uma mostra do Seu poder num momento muito feliz da minha vida que quase virou em desgraça também, os Mentores Espirituais vão te dar o consolo e o apoio que precisas.
Enquanto isso, vai á luta, faz um facebook com tua história e mostra a cara desse sujeito, não de descanso a ele, enquanto a justiça dos homens não chega, tu mostra a sociedade o perigo que esse cara é atrás de um volante.

Conta comigo

Jaque
Bal. Gaivota/SC
Email: jaquemsa@gmail.com
jaquemsa@hotmail.com

Lígia de Aquino disse...

Olá Ivonete,

Você poderia me dar o contato desta mãezinha? Gostaria muito de entrar em contato com a mesma.
No aguardo;

Lígia

Zelinda de Bona disse...

Olá Ivonete..

Como a ligia, gostaria de entrar em contato com ela coordeno o grupo Amigos Solidários na Dor do Luto aqui em Curitiba.
O que dizer para esse casal?
Estando tão longe gostaria muito de dar um forte abraço passar muita energia e um pouquinho de Paz nestes corações, como não é possível no momento o que posso fazer e rezar e rezar muito por vcs.
Se possível entre no nosso blog tem meu e-mail e telefone.
Ivonete uma semana de muita econtinue com esse blog maravilhoso que está ajudando muitas pessoas.
Meu carinho...

Anônimo disse...

Agradecemos a todas as pessoas que se solidarizam com nossa história e tentam nos ajudar, com palavras, orações....Saibam que nos fortalece saber que não estamos sozinhos nessa tão árdua luta.Nossos contatos;Prof.paulamelo@yahoo.com.br ou prof.erinaldo@hotmail.com
Abraços
Paula e Erinaldo

Anônimo disse...

Familia querida que Deus na sua sabedoria suprema faça aliviar esta dor de voces sei que nao é facil tambem perdi um filho com 08 dias de nascido um erro medico ja fazem 19 anos mas ainda sinto sua falta até hoje, mas se existe alguem capaz de diminuir esta só imensa só Deus ele é capaz de tudo ele nestes momentos mais dificies que voces viveram e vivem ele está aí juntinho colocado no colo dele, nao se preocupe pois este caminhoneiro vai pagar pois agente so colhe e que planta e o que ele palntou certeza vai pagar. Fiquem com Deus e que a força que Maria teve em ver seu filho morto sem merecer ela passe para voces, um grande abraço.

Anônimo disse...

Nossa, eu só posso pedir a Deus pra acalentar vossos corações, sei o qto é dificil, estou com um nó na garganta. Eu também perdi meu irmão querido, no dia 26/03/13. Ele era caminhoneiro e estava vindo de São Paulo, e em lugar proíbido outro caminhoneiro estava ultrapassando e acertou ele de cheio. Pra se ter ideia de como foi terrível o caixao estava lacrado. O meu lindo de 29 anos. Menino querido, responsável um anjo. Saiu pra trabalhar e um maldito inrresponsável nos tirou ele. Nós tentamos nos levantar mas ta dificil a sua falta.E pra piorar fazia um mês q minha cunhada tinha perdido a mãe de um AVC (23/02/13) depois veio a tragedia do meu irmão e agora no dia (04/05/13) ela perdeu o pai tambem num acidente. Nossas vidas virou em morte. Temos q ser forte pra dar o consolo pra ela. Mas não ta fácil. Tenho vontade de chorar, chorar e chorar e vem pessoas falando q nao podemos, pq senão ele nao descança. Ai como é triste. Sei q tem mtas pessoas sofrendo, mas a dor é mto grande. Só Deus pra ter misericórdia de nós. Fiquem com Deus. Amém

Anônimo disse...

oi,IVONETE?MEU NOME E VALERIA,LI SUA HISTORIA,E ME EMOCIONEI MUITO,TBM NAO TENHO PALAVRAS PARA TE FALR,PERDI MEU FILHO murillO DIA 06 DE ABRIL DE 2013,AOS 10ANOS...HOJE VIVO COM A FORÇA QUE NAO SEI AONDE ESTOU ENCONTRANDO...TUDO TEM SIDO DIFICIL PARA MIM..E A SAUDADE DO MEU ANJO CADA SEGUNDO AUMENTA MAIS...TENHO MAIS 2 FILHOS ,UM DE 22,E OUTRO DE 17,TENHO 42 ANOS.MAIS MURILLINHO ERA NOSSA VIDA,ERA UMA CRIANÇA ESPECIAL,AOS 4MESES APRESENTOU CRISES CONVULSIVAS,E VIVEU ATE A MORTE TENDO ESTAS CRISES...QUE A PESAR DE TODO ACOMPANHAMENTO COM NEURO,REMEDIOS,ELE CONTINUAVA TENDO...ERA NOSSA PREOCUPAÇAO 24 HS DO DIA,ELE DORMIA COMIGO.,EU SEMPRE TRABALHEI ORA,E TINHA A MADRINHA Q ACOMPANHAVA ELE EM TUDO....HOJE ME SINTO VAZIA,POR NAO TER AS PREOCUPAÇOES,QUERIA TANTO MEU BRANCO DE VOLTA,MEU CHEIRINHO,PERGUNTO A DEUS O PORQUE MEU FILHO SE FOI,E VC NAO SABE...MORREU DE PNEUMONIA...JAMAIS IRIA PENSAR QUE ELE FOSSE PARTIR POR ESTE MOTIVO....TINHA MEDO DELE CAIR NA RUA TENDO CRISES E BATER A CABEÇA..SEI LA....MAIS DESTA VEZ FICOU 27DIAS INTERNADO...FOI DIFICIL DESTA VEZ,FICOU ENTUBADO,,FOI HORRIVEL.....DIA 23 DE MAIO FARIA 11ANINHOS,LEMBRO QUE ANO PASSADO FIZ FESTINHA DO BEN10 PRA ELE,FOI UMA ALEGRIA....SAUDADES....QUERIDA SEJA FORTE,NAO SOU UMA BOA AMIGA NESTA HORA,POIS SOFRO MUITO,MUITO MESMO...VOLTEI A TRABALHAR UMA SEMANA DEPOIS,POIS ME ESTRAIO,CONVERSO,CHORO...E ASSIM VOU VIVENDO,UM DIA DE CADA VEZ,PROCUREI AJUDA COM PSICOLOGA,E ESTOU GOSTANDO MUITO...TEM ME AJUDADO BASTANTE..QUERIDA VAMOS NOS AJUDAR,ENTRE EM CONTATO COMIGO..VALERIAMS.41@HOTMAIL.COM ..ABRAÇOS E FIQUE CO DEUS

Veronica Zardo disse...

Oi Ivonete meu nome e Veronica tenho 37 anos e tinha 2 filhos até no domingo de páscoa31/03/2013.meu anjo de 18 anos sofreu um acidente fatal de moto e me vi no inferno cheia de porquês na cabeça e ums dor que ñ cessa um minuto se quer no auge da juventude cheio de sonhos e planos me deixou um lindo neto que na época tinha cinco meses(hoje tem 7 meses)dói demais cada vez que olho para meu neto e pior pois parece muinto com o pai,meus dias nunca mais foram os mesmo e com o passar dos dias dói ainda mais chego a me desesperar mais n perdi a fé em deus. Ainda tenho meu filho de 13 anos mais n tenho ânimo nem paciência com ele ,as vezes parece egoísmo mais sinto muinta falta do meu *júlio césar*questiono porque deus permitiu tamanha dor eramós tão felizes agora tudo é tristeza e dor n importa mais o dia da semana de chove ou faz sol se e dia ou noite.me pergunto pq ele logo no dia que ele estava muinto feliz com a família toda reunida,n tinha nem bebido e n se machucou morreu sem um arranhão no corpo no laudo nem tem causa da morte,parece que ele deitou no chão e dormiu a cena daquele domingo nunca mais saiu da minha cabeça e me atormenta todos os dias.aquele corpo no chão e eu de mãos atadas sem nada pode fazer.

Eveline Carvalho disse...

Querida Veronica fortaleca a fé e creia que seu lindo filhote está feliz por você está cuidando do filhinho dele. um beijo www.ielnossoanjo.bloogspot.com.br

Anônimo disse...

QUE DEUS TENHA MISSERICORDIA DE TODOS NOS QUE ESTAMOS SOFRENDO PELA PERDA DE NOSSOS ENTES QUERIDOS.FAZ 09 MESES QUE TAMBEM PERDI MINHA IRMÃ QUERIDA,E A DOR É INSUPORTAVEL,APESSAR DOS DIAS QUE SE PASSAM. PESSO FÉ E CORAGEM PARA TODOS NÓS QUE SOFREMOS TANTO.AMÉM.

Anônimo disse...

Oi querida Ivonete,ha muito tempo queria escrever para você.Moro em Icoaraci e acompanhei tudo o que aconteceu com você.Sempre procuro ter noticias suas pela internet,sei que você está passando por mais um momento difícil de sua vida,sempre falo da sua força e coragem para minha mae.Pois perdi minha irmã faz 09 meses e estou muito revoltada com Deus.Voçê é um exemplo a ser seguido,como consegue suportar tamanha dor.Que Deus te abençoe. PS: gostaria de falar com você via e-mail. Meu nome é Ivana e meu e-mail é: ivana-natividade@bol.com.br

Anônimo disse...

Olá Veronica, entendo muito bem o que você esta sentindo, pois em 10/02/2013 perdi meu amado filho Altemar com apenas 16 anos em um acidente em um acidente de moto, o acidente de seu filho se parece muito com o do meu filho, é muito triste não consigo aceitar tenho raiva do mundo e tenho muitos por ques, me sinto injustiçada enfim apesar de ter outros dois filhos tenho me esforçado muito para continuar a batalha contra a dor. Mas peço a você que se apegue em Deus estarei orando por você e seus familiares pedindo a Deus que nos conforte nos dê coragem e força, pois nossos anjos estão dormindo nos braços de nossa senhora, ela esta cuidando deles para nos.
Um forte abraço.
Luciana Queiroz
e mail- lucianascqueiroz@ig.com.br

Postar um comentário